Stana Katic Brasil

Stana Katic Brasil

Siga-nos em nossas redes sociais:
[New York Post] Rainha de “Castle”

[New York Post] Rainha de “Castle”

No episódio da semana passada de "Castle," a detetive Kate Beckett (Stana Katic) quase morreu nas mãos de um assassino em série louco, que tentou explodi-la com uma bomba estrategicamente posicionada. Os fãs piraram - "Ai, meu deus, eles mataram Beckett!" - e, pelo visto, alguns de seus familiares também.

Katic, de 31 anos, lembra-se de levar seu primo de 10 anos a um festival de TV recentemente, onde exibiram o episódio duplo que teve a cena de quase-morte em questão.

"Eu fechava os olhos dele nas partes sobre assassinato, mas [logo antes da explosão] eu precisei sair porque iria participar de um painel e conversar com as pessoas," ela conta. "Uma das produtoras ficou com ele e, depois, me disse, 'Acho que você precisa sentar com seu primo. Ele ficou muito perturbado com a explosão, ele está muito preocupado.'

"Então no táxi voltando para casa, eu precisei convencê-lo de que tudo ficaria bem e que Kate pulou na banheira no final. Achei muito fofo ter um priminho que investe tanto em minha personagem. Foi muito comovente."

Sem dúvidas isso deve ser verdade, já que Katic é a "ovelha negra" da família. "Sou a única que entrou para o estilo de vida de circo [da atuação]," diz Katic, a mais velha de 6 filhos. Enquanto seus pais, que ainda têm uma loja de móveis nos arredores de Chicago, podem ter ficado confusos com sua escolha de carreira, eles são "seus maiores fãs," ela diz.

E eles são apenas 2 doas 13 milhões de espectadores que assistem a "Castle" toda semana para ver Beckett e seu grude, o escritor de mistérios Richard Castle (Nathan Fillion), solucionando crimes e fazendo uma divertida dança de ficam-ou-não ficam juntos.

Agora na sua 2ª temporada, a série conseguiu evitar a temida maldição "Moonlighting" sabiamente limitando o relacionamento de Beckett e Castle a flertes unilaterais - geralmente, do lado do Castle.

"Beckett e Castle ainda têm muito o que explorar," diz Katic. "Nós só tocamos na superfície do Castle, só tiramos algumas camadas da Beckett. Tenho certeza de que iremos explorar mais das histórias deles antes [deles ficarem juntos]." Até lá, "o que há de melhor para ver do que aquela dinâmica fabulosa?" diz Katic.

O mais novo bloqueio na estrada desse relacionamento aparecerá no final deste mês, quando o escritor de Fillion finalmente ganhar um rival pelo afeto de Kate Beckett, na forma do interesse amoroso Tom Demming (Michael Trucco), outro policial da NYPD. "Ele é outro garoto do espaço," diz Katic, se referindo aos papéis nerds de Trucco e Fillion em "Battlestar Galactica" e "Firefly," respectivamente.

"Tem sido muito legal, porque ele dá a oportunidade de vermos um lado mais sexy, sensual e doce de Kate, que não vemos quando ela está trabalhando," ela diz. "Tivemos a oportunidade de vê-lo algumas vezes em sua vida pessoa, então [Demming] abre ainda mais a porta para vermos um lado privado do personagem da Kate." Isso pode trazer à tona revelações sobre uma até então desconhecida fase rebelde dela - um caso em que a arte imita a vida.

"Eu certamente sou mais criminosa do que ela - sou muito mais selvagem e criativa," diz Katic sobre se mesma, se recusando a especificar o que, exatamente, ela quis dizer com isso. Mas uma coisa que ela revela com prazer é seu amor por trabalhar com os diversos atores convidados da série. "É uma grande honra ter atores de cinema virem ao set e interpretarem um personagem por uma semana e meia, porque esses caras estão com tudo," ela diz. "Poder fazer cenas com alguns deles, como Michael Ironside, é fantástico. Não há nada melhor - é como comer um suculento pedaço de bife."